O nosso Sustainable Cotton Programme - Parceiros Primark Cares

O nosso Sustainable Cotton Programme

Utilizamos uma gama de fibras artificiais e naturais, mas o algodão é a principal fibra natural utilizada para fabricar os nossos produtos.

Não compramos qualquer matéria-prima diretamente - incluindo algodão - uma vez que os nossos fornecedores e as suas fábricas aprovadas são responsáveis pelo fornecimento de materiais. Mas preocupamo-nos seriamente com a proveniência dos materiais utilizados para fabricar os nossos produtos.

Esta questão é tão importante para nós que nos comprometemos a fazer todas as nossas roupas utilizando fibras recicladas ou materiais de origem mais sustentável até 2030.

Destaque para o algodão

Desde pijamas a t-shirts, baby grows, calças de ganga, toalhas e roupa de cama, o algodão é uma fibra natural chave na qual confiamos para fazer os nossos produtos. É por isso que estamos empenhados em trazer até aos clientes algodão de fontes mais sustentáveis a preços acessíveis.

Mas o que entendemos como algodão sustentável? Para nós, é algodão obtido através do nosso Primark Sustainable Cotton Programme e cultivado utilizando métodos agrícolas mais naturais e regenerativos, incluindo a redução da utilização de água, pesticidas e fertilizantes químicos e a formação de agricultores nestes métodos. Mas isto não é tudo, queremos que o algodão que utilizamos melhore a subsistência dos agricultores que o cultivam, aumentando o rendimento ganho com a produção do mesmo.

Estamos a dar o máximo, fixando-nos no objetivo de garantir que todo o algodão utilizado na nossa cadeia de fornecimento é orgânico, reciclado ou proveniente do Primark Sustainable Cotton Programme, sem passar esse custo para os nossos clientes.

O nosso Sustainable Cotton Programme

O algodão é normalmente cultivado por agricultores em pequenas explorações agrícolas em comunidades rurais de países como a Índia e o Paquistão. Estes agricultores têm poucos conhecimentos sobre métodos agrícolas amigos do ambiente e existe pouco ou nenhum acesso a apoio ou formação formal. Foi por isso que nos associámos, em 2013, aos peritos agrícolas CottonConnect e à Associação de Mulheres Autónomas para criar o Primark Sustainable Cotton Programme.

O programa foi lançado com 1251 agricultoras em Gujarat, Índia. Desde então, temos visto resultados transformadores. A qualidade do algodão melhorou e, em média, os agricultores que completaram o programa de formação de três anos aumentaram os seus lucros em mais de 200%. Muitos dos agricultores têm utilizado os seus lucros acrescidos para investir em equipamento para as suas quintas, educar os seus filhos, ou melhorar a sua habitação e estilo de vida.

O programa expandiu-se agora para outros países, incluindo o Paquistão, onde estamos a trabalhar com a CottonConnect e um parceiro local.

No geral, comprometemo-nos a formar 275 000 agricultores até 2023, equipando-os com os conhecimentos e meios para cultivarem algodão utilizando métodos agrícolas mais sustentáveis.

Em 2017 começámos a utilizar o algodão do programa numa das nossas gamas mais populares - o pijama feminino - sem custos adicionais para os nossos clientes. Desde então, temos vindo a aumentar a sua utilização ano após ano, à medida que trabalhamos para a nossa ambição a longo prazo de garantir que todo o algodão utilizado na nossa cadeia de fornecimento seja orgânico, reciclado ou proveniente do nosso Sustainable Cotton Programme. Temos agora gamas que incluem roupa de noite, calças de ganga, t-shirts e artigos para casa, todos feitos a partir de algodão cultivado por agricultores no nosso programa.

Kanchanben é uma agricultora de 40 anos que recebeu a formação do Primark Sustainable Cotton Programme, na Índia. Cultiva algodão em seis acres da sua terra. Através do programa, Kanchanben reduziu para metade a quantidade de fertilizante químicos que utiliza e aumentou a sua produção de algodão. Como resultado, ganhou mais dinheiro, que desde então tem investido na educação dos seus filhos.

A ciência forense e a cadeia de fornecimento

A cadeia de fornecimento de algodão é manifestamente complexa. Quando iniciámos o Primark Sustainable Cotton Programme em 2013, uma das nossas ambições era garantir a rastreabilidade desde a exploração agrícola até ao armazém. Trabalhamos com a CottonConnect para localizar o algodão dos agricultores participantes ao longo de toda a nossa cadeia de fornecimento. Somos capazes de isolar o algodão através da cadeia de fornecimento e rastreá-lo utilizando o sistema exclusivo da Cotton Connect, TraceBale. Dada a complexidade da rastreabilidade, quisemos ir mais longe para garantir que quando dizemos que um produto é feito usando algodão sustentável, cultivado por agricultores no nosso programa, o é realmente, e foi por isso que também fizemos uma parceria com a Oritain.

A Oritain utiliza a ciência forense para identificar a fonte original do algodão e validar a informação no sistema TraceBale. Fomos um dos primeiros grandes retalhistas a estabelecer parcerias com a Oritain e o único a utilizar esta tecnologia a esta escala.

Para identificar a origem do algodão, a Oritain utiliza a mesma ciência forense que é utilizada em investigações criminais há mais de 40 anos, para testar o que existe naturalmente num produto. O algodão absorve naturalmente diferentes níveis de elementos químicos específicos do clima e das condições geológicas locais em que é cultivado. A Oritain testa as diferenças nestes elementos e utiliza os dados para criar uma "Impressão Digital de Origem" única que não pode ser replicada.

A imagem mostra um fluxograma para descrever como a Oritain trabalha para validar amostras de algodão na nossa cadeia de fornecimento.

Até à data, a Oritain mapeou mais de 90% do algodão do mundo numa base de dados. O tecido e o fio podem ser testados e comparados com a "Impressão Digital de Origem" genuína armazenada na base de dados, para ver se correspondem. Se sim, os materiais são identificados como autênticos; se não, isso indica que o produto pode ter origem noutra região ou estar contaminado. A Oritain pode testar o algodão e compará-lo com a base de dados em praticamente qualquer ponto da cadeia de fornecimento, desde algodão cru até um par de calças de ganga, garantindo transparência para nós e para os nossos clientes. Desde 2018 que temos trabalhado com a Oritain para validar amostras retiradas em várias fases da cadeia de fornecimento - das próprias explorações agrícolas, depois do algodão ter passado pelo processo de descaroçamento e posteriormente após o processo de fiação.

Isto dá-nos e aos nossos clientes confiança na origem do nosso algodão, e conforto no facto de que quando dizemos que algo é feito com algodão sustentável cultivado por agricultores no nosso programa, o é realmente.