Criando Capacidade Financeira - Primark Cares

Criando Capacidade Financeira

Uma das questões que mais nos colocam é, sendo os nossos preços tão baixos, como podem as pessoas que fazem as nossas roupas ser pagas de forma justa. No entanto, a etiqueta num artigo de vestuário não reflete o quanto alguém é pago para o fazer.

Através do bem consolidado programa de auditoria de comércio ético da Primark, já efetuamos controlos para garantir que os trabalhadores são pagos de acordo com o salário mínimo local. Mas agora assumimos um novo compromisso de ir mais longe.

Como parte do nosso objetivo de criar capacidade financeira para os trabalhadores da nossa cadeia de fornecimento, iremos trabalhar para dar um Salário Condigno a todos os que fabricam as nossas roupas. Não subestimamos o desafio complexo que isto representa, mas sabemos que é a coisa correta a fazer. Estamos determinados a utilizar a escala do nosso negócio para promover um progresso significativo e quantificável, tanto através das nossas próprias mudanças como trabalhando em conjunto com outros.

O que é um Salário Condigno?

Mas o que entendemos como Salário Condigno? E como é que decidimos sobre um patamar aceitável? Acreditamos que o melhor caminho para chegar a acordo sobre ambas estas coisas é através de um diálogo construtivo negociado entre os trabalhadores e o seu empregador, que é o que estamos a trabalhar para alcançar através do ACT. ACT é um acordo entre 20 marcas globais e a IndustriALL Global Union na procura de salários condignos para trabalhadores das cadeias de fornecimento de têxteis e vestuário, da qual a Primark é membro fundador.

Reconhecemos que a negociação não é uma opção para os trabalhadores de todos os países, razão pela qual iremos utilizar a abordagem Salário Condigno desenvolvida pela Global Living Wage Coalition, amplamente reconhecida internacionalmente como referência credível. Utilizam a metodologia ANKER que define Salário Condigno como o rendimento mínimo necessário para um trabalhador satisfazer as suas necessidades básicas e as da sua família, incluindo algum rendimento discricionário.1 O dinheiro deve ser ganho durante uma semana normal de trabalho e fundamentalmente sem horas extraordinárias.2 As necessidades básicas incluem alimentação, água, habitação, educação, cuidados de saúde, transporte, vestuário, bem como a provisão para imprevistos. Isto vai além do salário mínimo, que é o salário mínimo legalmente protegido pago num país, o qual controlamos atualmente o cumprimento através do nosso programa de auditoria ética comercial.

É importante dizer que não são apenas os salários que importam: embora um rendimento mais elevado seja a chave para alcançar capacidade financeira, juntamente com isto, queremos oferecer formação, educação e apoio para que os trabalhadores possam gerir melhor as suas finanças pessoais. Iremos trabalhar para apoiar também o acesso à proteção social dos trabalhadores, que é tão importante quando alguém adoece ou fica ferido.

Então porque é tão desafiante? Explicar os salários.

Como a maioria dos retalhistas, não somos proprietários das nossas próprias fábricas. Trabalhamos diretamente com fornecedores que, por sua vez, contratam fábricas. São as fábricas que empregam e pagam diretamente aos seus trabalhadores.

Mas tenha em consideração que normalmente as fábricas produzem para inúmeros clientes diferentes. Diariamente, uma fábrica pode estar a fazer roupas para várias marcas. Os trabalhadores receberiam o mesmo montante pelo trabalho daquele dia, quer a peça de vestuário que estavam a fazer custasse ao cliente final 20 euros ou 2 euros. Portanto, na prática, a Primark é apenas um cliente entre muitos e apenas um contribuinte para o que, em última análise, chega aos salários dos trabalhadores. Este é um dos maiores desafios que a indústria enfrenta e porque precisamos de trabalhar em conjunto para progredir.

Melhor em Conjunto

Então, o que podemos fazer? Tendo em conta que existem tantas partes com um papel a desempenhar na fixação dos salários, acreditamos que uma mudança real na remuneração dos trabalhadores pode ser alcançada mais eficazmente se os fornecedores, marcas, sindicatos, governos e representantes dos trabalhadores colaborarem todos. Enquanto continuamos a progredir juntos, sabemos que não existem respostas rápidas ou fáceis, mas estabelecemos cinco compromissos para nos ajudar a trabalhar para o nosso objetivo.

  1. Intensificar a colaboração entre sectores, incluindo o nosso trabalho com a ACT
  2. Implementar os compromissos da Prática de Compras da ACT até 2023
  3. Trabalhar com parceiros para melhorar a avaliação e a transparência
  4. Apoiar os nossos fornecedores a adoptar o Salário Condigno
  5. Apoiar o acesso dos trabalhadores à proteção social e à educação financeira

1. Agir pelo ACT.

A Primark foi um dos membros fundadores da ACT, e acreditamos que a estrutura da ACT continua a ser a melhor estrutura para alcançarmos este objetivo. Iremos desenvolver o papel ativo que temos desempenhado até à data e avançar no sentido de acordos de negociação coletiva nacionais abrangentes nos respetivos mercados. Planeamos reorientar as nossas energias e atenção dentro destes mercados ACT, pois acreditamos que esta é uma das melhores oportunidades para introduzir mudanças verdadeiramente significativas.

2. Implementar os compromissos da Prática de Compras da ACT

Existe muito que podemos fazer através das nossas próprias operações comerciais, começando com os nossos atuais compromissos em torno da implementação das Práticas Globais de Compra da ACT, até ao final de 2023. As práticas de compra têm um grande impacto na capacidade de um fornecedor pagar um Salário Condigno, pelo que a nossa esperança é que, ao implementar mudanças na forma como trabalhamos com eles, possamos criar a segurança de que precisariam para apoiar esta mudança.

Estas incluem:

  • Condições justas de pagamento - Já implementámos condições de pagamento padrão de 30 dias para fornecedores. Somos também signatários do Código de Pagamento Imediato do Governo do Reino Unido. Isto garante aos nossos fornecedores um movimento de caixa rápido e ajuda na sua capacidade de pagar os salários dos trabalhadores.

  • Formação em fornecimento responsável - Com base em programas anteriores, iremos educar as nossas equipas de produtos sobre práticas de compra responsável e o que isto irá significar na prática para as suas funções. Dada a proximidade com os nossos fornecedores, queremos desenvolver os seus conhecimentos e dar-lhes uma orientação clara sobre as nossas expetativas e práticas evolutivas para os nossos fornecedores.

  • Estratégia de saída responsável - Temos trabalhado no âmbito da ACT para desenvolver novas diretrizes que explicam o que esperar quando se termina uma relação comercial com um fornecedor. Isto obriga a que trabalhemos em conjunto para avaliar as potenciais implicações para os trabalhadores e acordemos uma saída faseada para diminuir qualquer impacto nos mesmos, incluindo, se possível, um compromisso sobre os salários.

Todos os membros do ACT são obrigados a acompanhar individualmente e a comunicar os seus progressos relativamente a estes compromissos. Os resultados destes serão publicados anualmente para partilhar o progresso e ser transparentes em torno da identificação das áreas a melhorar.

3. A avaliação e a transparência são fundamentais.
A fim de mostrar os salários efetivamente pagos, iremos trabalhar com um terceiro independente para recolher dados salariais da fábrica de uma forma consistente, em todos os nossos principais países fornecedores. Isto irá permitir-nos estabelecer a verdadeira diferença entre um Salário Condigno e aquilo que os trabalhadores recebem. Posteriormente, iremos inserir estes dados no Painel de Compensação Equitativa desenvolvido pela Fair Labor Association (Associação do Trabalho Íntegro) (FLA), que nos irá permitir monitorizar o progresso no crescimento dos salários reais. Iremos fazer isto em todos os nossos principais mercados de fornecimento e, em pararelo, pretendemos publicar os resultados do nosso registo salarial para que o nosso progresso seja transparente.

É também importante ajudar a criar consenso em torno de um patamar de Salário Condigno acordado. Assim, iremos estabelecer uma parceria com a Global Living Wage Coalition (GWLC) de forma a contribuir para os patamares de Salário Condigno nos nossos principais mercados de fornecimento e expandir este trabalho para mercados onde atualmente não existem patamares de referência.

4. Apoiar e incentivar os nossos fornecedores

Sabemos como é importante estabelecer parcerias com os nossos fornecedores quando se pretende o pagamento de um salário condigno, especialmente porque as pessoas que fazem os produtos Primark não trabalham diretamente para nós. Queremos ser francos e honestos com os nossos fornecedores sobre a nossa ambição e o facto de, com o tempo, mudarmos a forma como selecionamos, trabalhamos e estabelecemos parcerias com eles, preferindo cada vez mais fornecedores que partilham as nossas aspirações de Salário Condigno e, sempre que possível, aqueles que, tal como nós, também são ativos no ACT. O nosso objetivo é construir parcerias mais fortes e estratégicas onde apoiamos os nossos fornecedores, com melhor previsão e planeamento do nosso lado, ajudando-os a tornar a sua produção mais eficiente, para poder aumentar os salários pagos aos trabalhadores.

5. Apoiar o acesso dos trabalhadores à protecção social e educação financeira

Vamos também expandir os programas que já estão implementados para apoiar trabalhadores e incluir um novo foco na literação financeira destes, educando-os em torno dos serviços financeiros básicos e das competências orçamentais domésticas. Vimos também como os trabalhadores iriam beneficiar de um melhor acesso à proteção social, por exemplo, se estivessem feridos ou doentes, pelo que iremos trabalhar nesse sentido como objetivo adicional.


1 https://www.globallivingwage.org/about/what-is-a-living-wage/
2 https://actonlivingwages.com/who-we-are/