O nosso Programa de Auditoria de Fábrica - Primark Cares

O nosso Programa de Auditoria de Fábrica

Na Primark somos muito seletivos com quem trabalhamos. Só trabalhamos com fábricas de fornecedores se estas concordarem e cumprirem as normas, internacionalmente reconhecidas, estabelecidas no nosso Código de Conduta - os requisitos vão desde o respeito pelo direito dos trabalhadores a formar um sindicato, até à garantia de que as pessoas não irão trabalhar horas excessivas.

O nosso programa de auditoria avalia todas as fábricas com estas normas internacionalmente reconhecidas.

Tornar-se um fornecedor aprovado

Antes de fazermos a nossa primeira encomenda, um membro da nossa equipa de Comércio Ético e Sustentabilidade Ambiental reúne-se com a fábrica para explicar as normas que esperamos serem cumpridas. A equipa realiza também uma auditoria formal das condições atuais da fábrica. As auditorias ajudam-nos a avaliar o desempenho de uma fábrica em comparação com o Código de Conduta. No caso de novos fornecedores e respetivas fábricas, uma auditoria permite-nos ter a certeza de que as condições na fábrica são aceitáveis antes de a aprovarmos para utilização. Em determinadas circunstâncias, quando a nossa equipa não puder realizar esta auditoria inicial, podemos atribuir esta tarefa a um membro de uma das empresas de auditoria cuidadosamente selecionadas.

Para construir boas relações de trabalho com novas fábricas, as nossas auditorias iniciais são totalmente anunciadas, ajudando na transparência e permitindo-nos concentrar na reabilitação sempre que necessário.

Realização de auditorias sociais

Mesmo depois de uma fábrica ter sido auditada e aprovada, voltaremos a auditá-la pelo menos uma vez por ano, sem aviso ou notificação prévios. Em vez de pedirmos à fábrica que realize auditorias, nós pagamos as auditorias para que tenhamos controlo sobre a qualidade e integridade em que estão a ser realizadas em nosso nome. Para além de milhares destas auditorias sem aviso prévio, todos os anos realizamos também centenas de verificações pontuais, também não anunciadas, para avaliar questões específicas ou dar seguimento a alegações por parte de denunciantes, preocupações de organizações da sociedade civil, ou outras partes interessadas.

As nossas auditorias permitem-nos obter uma imagem extremamente detalhada das condições de trabalho em toda a fábrica. Abrangem todos os trabalhadores, desde maquinistas aos seguranças, até ao pessoal da cozinha. Utilizamos diferentes métodos para obter informação, incluindo:

  • Avaliações da segurança de incêndios ou máquinas
  • Entrevistas com a direção e pessoal em funções como RH
  • Revisões da documentação
  • Entrevistas confidenciais de trabalhadores

Entendemos que ouvir o que os trabalhadores têm a dizer em confidência é essencial e é uma parte obrigatória das nossas auditorias. Estas entrevistas oferecem-nos a oportunidade de descobrir como é realmente a sua vida profissional e permitem aos trabalhadores levantar quaisquer questões que possam ter.

Garantir a segurança dos edifícios

Antes do colapso do edifício Rana Plaza, em 2013, os proprietários das fábricas eram responsáveis por garantir que os edifícios eram estruturalmente sólidos. A segurança dos edifícios não era uma parte formal da auditoria das instalações dos fornecedores pelas marcas e retalhistas. O Rana Plaza mudou isto.

O nosso programa de integridade estrutural dedicado

Na sequência do Rana Plaza, estabelecemos o nosso próprio Programa de Integridade Estrutural. Cada edifício da fábrica foi avaliado por uma equipa de engenheiros de estruturas relativamente às normas internacionais. Caso fossem descobertas áreas que necessitassem de melhorias, trabalhamos com uma equipa de engenheiros estruturais e civis de empresas internacionais de engenharia, MCS e Mott MacDonald, para dar aos fornecedores e às suas fábricas apoio técnico e orientação.

Atualmente, o Programa de Integridade Estrutural da Primark é liderado pelo nosso próprio engenheiro estrutural especialista, apoiado por uma equipa da Mott MacDonald. Todas as fábricas Tier 1 e Tier 2 no Bangladesh, Paquistão e Myanmar são sujeitas a avaliações rigorosas e abrangentes.

Como são feitas as nossas inspeções às fábricas?

Os engenheiros estruturais baseados na nossa equipa local de Comércio Ético da Primark reúnem-se com a direção da fábrica para rever os planos e desenhos estruturais existentes para o edifício.

A nossa equipa de peritos efetua então uma inspeção física de um edifício, tanto por dentro como por fora. Os engenheiros procuram tudo o que os possa alertar para um problema. Isto inclui desde a procura de fissuras, até à verificação da localização das colunas e estruturas de suporte.

Os engenheiros também procuram sinais de que parte de uma fábrica possa ter ficado acidentalmente sobrelotada. Isto pode ser devido à inclusão de uma estrutura de armazenamento temporário ou à instalação de maquinaria pesada, tais como máquinas de lavar ou de estampar tecidos, nos pisos superiores.

Estas inspeções físicas são apoiadas por uma revisão dos desenhos de engenharia originais fornecidos pela fábrica e uma série de cálculos e testes para determinar se um edifício está apto para o efeito.

Após a conclusão da avaliação, os engenheiros fornecem às fábricas informações técnicas detalhadas e específicas explicando quaisquer melhorias necessárias para satisfazer os requisitos da Primark. A nossa equipa trabalha então diretamente com o fornecedor e a fábrica para lhes dar orientações sobre como fazer as alterações.

Estas avaliações fazem parte do processo de aprovação da fábrica e a mesma deve satisfazer os nossos requisitos para poder começar a trabalhar connosco. Se alguma fábrica não cumprir estes requisitos, não faremos quaisquer encomendas. Tão simples quanto isto.

O nosso trabalho com parceiros peritos em integridade estrutural continua a ser fundamental na nossa relação com fornecedores e as suas fábricas.

Apoiando o Acordo sobre Segurança contra Incêndios e em Edifícios no Bangladesha

Fomos um dos primeiros retalhistas internacionais a assinar o Acordo sobre Segurança contra Incêndios e em Edifícios no Bangladesh, na sequência da tragédia do Rana Plaza. Este acordo juridicamente vinculativo exige que as fábricas sejam inspecionadas por engenheiros para avaliar a integridade estrutural dos edifícios. Na sequência de uma inspeção, os proprietários das fábricas recebem um plano de ação corretiva exigível para tratar de quaisquer áreas que precisem de melhoramentos. Todo o trabalho deve ser realizado dentro de um período de tempo estipulado. A continuação dos negócios com os membros do Acordo depende da conclusão destes planos de reabilitação.

Como parte da assinatura do Acordo, os retalhistas e as marcas - ou "marcas líderes" - são responsáveis por acompanhar fábricas específicas para garantir que qualquer trabalho necessário é feito. Somos uma "marca líder" em mais de 30 fábricas no Bangladesh. Trabalhamos diretamente com os proprietários das fábricas para fornecer apoio técnico para qualquer ação corretiva necessária, reportando à Accord e aos outros membros.

O acordo original durou cinco anos, mas em 2018 foi assinado um "Acordo de Transição" com a duração de três anos. O objectivo era apoiar a transição da responsabilidade pelo programa de segurança dos edifícios, da Fundação Accord em Amesterdão para uma nova organização - o Ready-Made Garment Sustainability Council, ou RSC. Esta transferência da Accord para o RSC significa que o programa é gerido por uma organização do Bangladesh para e com maior envolvimento da indústria local.